Especialistas criticam Plano de Segurança

O sociólogo Túlio Khan, do Instituto Latino-Americano das Nações Unidas para Prevenção do Delito e Tratamento do Delinqüente (Ilanud), criticou nesta terça-feira o não-cumprimento do Plano Nacional de Segurança Pública como estipulava o projeto original, preparado na gestão do ex-ministro José Carlos Dias.Ele acredita que se o estudo fosse aplicado corretamente facilitaria o combate à violência e à criminalidade.O trabalho previa o levantamento de bolsões de violência para instalação de programas sociais, principalmente nos Estados de maior criminalidade.A entrega de dinheiro do plano pelo Ministério da Justiça aos Estados, no primeiro estudo, estava condicionada à existência de políticas de segurança, como penas alternativas, polícia comunitária, instalação de ouvidorias e unificação das polícias.Segundo Khan, o Ministério da Justiça passou a exigir o cumprimento de algumas metas para liberar o dinheiro. "A parte mais interessante do plano foi separada do Ministério da Justiça para a Secretaria Nacional de Segurança Pública."O coronel reformado da PM José Vicente da Silva, do Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial, explicou que a falta de planejamento no combate ao crime é um dos pontos falhos do plano nacional.Ele acredita que o Ministério da Justiça deve preocupar-se em criar setores de inteligência para combater tráfico de drogas, roubo de carga e de automóveis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.