Especialista em energia será novo embaixador em Caracas

Escolha de Simões é parte da renovação de vários postos na América do Sul

Denise Chrispim Marin, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2031 | 00h00

O Itamaraty designou o embaixador Antônio Simões, hoje chefe do Departamento de Energia, para um posto estratégico da política externa - a Venezuela. A mudança deve ocorrer até o fim do ano e reforça a opção do ministro Celso Amorim pela renovação dos quadros de comando do Itamaraty, com a escolha de escudeiros leais para os postos mais delicados no exterior.Embrenhado nos planos do governo Lula para integrar a área de energia na América do Sul e nos movimentos da Venezuela de Hugo Chávez, Simões é um dos "jovens" embaixadores que não têm experiência no comando de postos no exterior, mas são da confiança de Amorim. Sua indicação segue a lógica das escolhas de Mauro Vieira para a Embaixada do Brasil em Buenos Aires e de Antônio Patriota para Washington.Ainda incompleta, a nova ciranda definirá postos do Itamaraty para os últimos três anos de governo Lula. A movimentação será relevante sobretudo na América do Sul. Além da mudança em Caracas, Amorim designou Jorge Taunay, que hoje ocupa a Subsecretaria para Assuntos de América do Sul, para Lima. Para seu lugar ascenderá o embaixador Ênio Cordeiro, diretor-geral do Departamento de América do Sul e um dos homens-chave do Itamaraty nas negociações do processo de integração e dos conflitos bilaterais do Brasil com a vizinhança.Para Bogotá, foi indicado Valdemar Carneiro Leão, atual embaixador do Brasil em Ottawa e experiente negociador de questões econômico-comerciais. A embaixada no Canadá será ocupada por Paulo Cordeiro, que hoje atua num dos postos mais difíceis da diplomacia, o Haiti. A embaixada em Porto Príncipe, por sua vez, será conduzida pelo embaixador Igor Kipman, hoje chefe da Divisão de México, América Central e Caribe.Até o fim do ano, Amorim deve decidir ainda a troca do comando das embaixadas em Paris, Londres e Moscou, tradicionalmente cobiçadas na diplomacia. E definir um destino no exterior para o embaixador Paulo César de Oliveira Campos, que conduz o Cerimonial da Presidência da República desde o início do governo Lula.Na esteira dessas mudanças, o embaixador em Lima, Luís Augusto Araújo Castro, será transferido para o Consulado-Geral do Brasil em Miami. O único especialista do Itamaraty na área econômico-financeira e ex-secretário de Assuntos Internacionais da Fazenda, Marcos Caramuru, trocará a embaixada na Malásia pelo Consulado do Brasil em Xangai, na China.O embaixador na Venezuela, João Carlos Souza-Gomes, representará o País na Unesco, a organização da ONU para Educação, Ciência e Cultura, em Paris. O titular desse posto, embaixador Luís Felipe Macedo Soares, irá para Genebra, representar o Brasil nos organismos da área de desarmamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.