Especial Sob Censura

Leandro Colon, de O Estado de S.Paulo

31 Julho 2010 | 06h00

Há um ano o jornal O Estado de S. Paulo está proibido, por sentença judicial, de publicar informações sobre a Operação Boi Barrica, pela qual a Polícia Federal investigou a atuação do empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney. A censura foi decretada em 31 de julho de 2009 pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal, a pedido do empresário. Em 18 de dezembro, Fernando requereu a desistência da ação, mas o Estado não aceitou. Em 29 de janeiro, o advogado Manuel Alceu Affonso Ferreira apresentou ao TJ-DF manifestação em que sustenta a preferência pelo prosseguimento da ação, para que o mérito seja julgado. Até hoje, o jornal aguarda a definição.

 

Veja também: 

 

Sarney boicota investigação dos atos secretos, revelados pelo 'Estado', e emperra inquérito sobre o maior escândalo do Senado

 

Senado oficializa seus vícios secretos

 

Entrevista com Pedro Simon - 'Senado virou uma casa de amigos'

 

Caso põe em discussão segredo de Justiça

 

Três ministros do STF se dizem contra mordaça imposta pela toga

 

ANJ lamenta episódio e o define como 'absurdo'

 

Memória - 'Estado teve censores na redação'

 

Burocracia forense ajuda sobrevida da mordaça

 

Entrevista com Manuel Alceu Affonso Ferreira - 'Censura é mais grave que no AI-5'

 

Sentenças judiciais determinam retirada de material de blogs

 

Artigo de Isabel Lustosa- Política e imprensa

 

América Latina dá fôlego para 'nova censura'

 

Unesco tem guia para direito à informação

 

Entrevista com Carlos Lauría - 'Assassinatos de jornalistas e ataques violentos provocam autocensura'

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.