Esforço concentrado começa com impasse sobre MP dos Aposentados

Com impasse na votação da medida provisória que reajusta em 5% o valor das aposentadorias acima de um salário mínimo pagas pela Previdência Social, A MP dos Aposentados, começa nesta terça-feira o esforço concentrado do Congresso. Na Câmara, o líder interino do governo, deputado Beto Albuquerque (PSB-RS), reúne os representantes da base pela manhã para tentar votar a MP na sessão que começa à tarde. O líder do PT na Câmara, Henrique Fontana (RS), não aceita votar nominalmente (quando há registro dos votos no painel eletrônico) a proposta dos partidos de oposição, de um reajuste de 16,67%. Com isso, ele obstrui as votações. Albuquerque, por sua vez, defende a votação, mesmo com o risco de derrota do governo. O líder governista quer limpar a pauta para dar atenção a alguns projetos, como a Lei Geral das Microempresas. Se a MP não for votada nesta semana pela Câmara e pelo Senado, perderá validade. Além disso, a pauta se manterá obstruída, comprometendo a validade de outras três MPs: a 292, que trata da regularização dos assentamentos urbanos e deixará de valer em 24 de agosto, e as que tratam da reforma sindical, com validade até 5 de setembro (293 e 294). Depois desta semana, a Câmara e o Senado só voltarão a realizar sessões de votação na primeira semana de setembro, nos dias 4, 5 e 6. Sete medidas trancam a pauta da Câmara. No Senado, a pauta está desobstruída, mas, assim que a Câmara retomar as votações, as MPs já chegarão ao Senado, trancando os trabalhos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.