DIDA SAMPAIO|ESTADÃO
DIDA SAMPAIO|ESTADÃO

Escolha do relator do processo contra Cunha no Conselho de Ética é adiada

O presidente do colegiado, José Carlos Araújo (PSD-BA), alegou necessidade de colher mais informações antes de definir o nome entre os três que foram sorteados nesta terça

Daniel Carvalho e Daiene Cardoso, O Estado de S. Paulo

04 Novembro 2015 | 17h53

Atualizado às 21h50

Brasília - O presidente do Conselho de Ética, José Carlos Araújo (PSD-BA), adiou nesta quarta-feira, 4, o anúncio do deputado que relatará o processo de quebra de decoro parlamentar contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O favorito, porém, continua a ser Fausto Pinato (PRB-SP). Desde a noite de anteontem, Araújo já tinha a intenção de escolhê-lo para a relatoria. Após conversas ontem, admitiu em conversas reservadas que sua decisão estava praticamente tomada. O presidente do conselho disse que o nome do relator será anunciado nesta quinta. 

Deputados próximos a Cunha preferiam Vinícius Gurgel (PR-AP), pupilo do peemedebista e que participou ativamente da campanha para a presidência da Câmara, como mostram fotos em seu perfil nas redes sociais. No entanto, os aliados de Cunha dizem que Pinato, deputado de primeiro mandato, também agradaria. Eles disseram ser “amigos” do parlamentar mais cotado para assumir a relatoria e já se preparam para fazer as primeiras abordagens.

Holofotes. Conselheiros e aliados de Araújo disseram, nos bastidores, que o deputado adiou o anúncio para hoje na tentativa de manter os holofotes sobre si em um protagonismo que vai durar apenas até a escolha do responsável pelo parecer que pode indicar a cassação do presidente da Casa. Araújo disse que precisa “recolher mais informações” sobre os três deputados sorteados na última terça-feira.

‘Garantia’. Além de não ter o radicalismo partidário que pesa contra Zé Geraldo (PT-PA) nem a proximidade com Cunha ostentada pelo currículo de Vinícius Gurgel, Fausto Pinato tem a seu favor o apoio do deputado Celso Russomanno (PRB-SP). 

Líder nas pesquisas de intenção de voto da disputa pela Prefeitura de São Paulo, Russomanno deu a Araújo a garantia de que Pinato não dará passos em falso como relator, já que qualquer falha pode respingar na candidatura do correligionário em São Paulo.

Na manhã de ontem, Araújo conversou com Russomanno e disse que o parlamentar “o tranquilizou muito” a respeito da condução por Pinato. Russomanno garantiu que o candidato a algoz de Cunha não enterrará o caso com um parecer prévio pela inépcia da representação.

Oficialmente, o presidente do conselho negou o favoritismo de Pinato, mas procurou pessoas ligadas ao parlamentar para levantar mais informações sobre ele. “O Pinato é deputado de primeiro mandato. Ninguém conhece aqui, eu não conheço”, afirmou.

‘Dólares”. O adiamento dá mais algumas horas de respiro a Cunha, que só pode ser notificado a partir da escolha do relator. O advogado Marcelo Nobre cuidará de sua defesa no colegiado.

Nesa quarta, enquanto concedia entrevista, o presidente da Câmara foi alvo de um “banho” de notas falsas de dólar. Um militante do “Levante Popular da Juventude”, surpreendeu o deputado e jogou as notas sobre ele. “Receba sua encomenda da Suíça, Cunha”, gritou Tiago Ferreira, de 26 anos, que foi retirado pela Polícia Legislativa. As notas falsas de 100 dólares, em vez do retrato de Benjamin Franklin, traziam a imagem do peemedebista. Levado pelos seguranças, Tiago deixou o local aos gritos de “Fora PT”. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.