Marcio Fernandes/AE
Marcio Fernandes/AE

Escolha de candidato a presidente só em 2013, diz Alckmin

Governador tucano elogia senador, mas afirma que o partido tem outros nomes e somente a definição pela legenda legimita o candidato a buscar eleitores

Anne Warth, da Agência Estado

10 de outubro de 2011 | 13h01

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou nesta segunda-feira, 10, que a definição do candidato tucano para disputar a eleição para presidente da República deve ocorrer só em 2013, após um processo de escolha interna do partido. Embora tenha elogiado o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que em entrevista publicada neste domingo, 9, pelo Estado assumiu a intenção de disputar a Presidência da República em 2014, Alckmin citou que o partido tem outros candidatos tão bons quanto o político mineiro, entre eles o ex-governador José Serra, derrotado por Dilma Rousseff na disputa de 2010, e os governadores de Goiás, Marconi Perillo, e do Paraná, Beto Richa.

"Entendo que a escolha, como o Aécio mesmo disse, não é agora", afirmou, durante cerimônia na capital paulista de anúncio de investimentos de R$ 40,2 milhões na modernização de hospitais e centros de saúde do Estado. "Isso deve ocorrer a partir de 2013, mas acho que é muito bom para o País ter pessoas preparadas, com experiência, com espírito público e sérias para disputas de grande responsabilidade".

Alckmin ressaltou que somente a escolha de um nome dentro do processo interno do partido é que legitima o candidato a buscar o voto dos eleitores. "O PSDB tem bons quadros para servir à população", afirmou. "Temos também o Serra, que já foi nosso candidato na última eleição, e os governadores Marconi Perillo e Beto Richa", citou. "A democracia começa dentro de casa. É preciso um processo interno de escolha e é esse processo interno que legitima o candidato para que depois ele vá buscar o voto na sociedade".

Eleições municipais. O governador também comentou o lançamento da pré-candidatura, marcada para esta segunda, do secretário estadual de Energia, José Aníbal, a prefeito de São Paulo e aproveitou para negar que seu pré-candidato favorito para a eleição do ano que vem seja o secretário estadual do Meio Ambiente, Bruno Covas.

"Acho muito bom que o José Aníbal apresente sua candidatura", afirmou. "Bruno Covas também já disse que seu nome está à disposição, assim como Andrea Matarazzo e Ricardo Trípoli. Bruno Covas é um excelente candidato, tem as virtudes do avô (Mário Covas), mas não declarei apoio a ninguém. Essa é uma escolha que deve ser feita no ano que vem e será coletiva", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesSPPSDBaécio eleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.