Esclarecimento de d. Bertrand, bisneto da princesa Isabel

O bisneto da princesa Isabel, o senhor Bertrand de Orleans e Bragança, que pode ser chamado de d. Bertrand, enviou nota ao jornal O Estado de S. Paulo após entrevista publicada na edição do último domingo, 10, a fim de reiterar que não tem restrição "à figura de sua bisavó, a Princesa Isabel, e a seu gesto de libertação dos escravos, bem como uma certa restrição à raça negra".   Abaixo a íntegra da nota:   Senhor Editor,   A propósito da entrevista concedida pelo Príncipe D. Bertrand de Orleans e Bragança ao jornalista Roldão Arruda - à qual, como assessor, tive a oportunidade de assistir - e estampada com excelente destaque nesse jornal no domingo último, parece-me conveniente uma precisão.   A leitura do texto poderia levar algum leitor a crer que D. Bertrand teria reticências à figura de sua bisavó a Princesa Isabel e a seu gesto de libertação dos escravos, bem como uma certa restrição à raça negra. Nada mais contrário à realidade, como, aliás, D. Bertrand teve ocasião de expor ao jornalista.   D.Bertrand sempre foi um entusiasta da Princesa Isabel e de seu corajoso gesto de pôr fim à escravidão, sobre o qual fala com alegria em repetidas ocasiões. O que o Príncipe afirma é que, com a exploração da chamada questão quilombola e com o Estatuto da igualdade racial (em trâmite no Congresso Nacional), está sendo criada artificialmente, no Brasil, uma questão racial, em que os negros serão os primeiros prejudicados.   Atenciosamente, Fernando Furquim de Almeida Filho Assessor de Comunicação

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.