Erundina diz que não aceitaria convite de Lula

A candidata da coligação PSB-PMDB à Prefeitura de São Paulo, Luiza Erundina, afirmou hoje que não aceitaria um hipotético convite do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para fazer parte do governo federal. Durante entrevista no Grupo Estado, na série de Eleições 2004 no Estadão, a ex-prefeita da Capital comentou que não seria coerente se aceitasse um cargo em um governo que critica. "Eu não preciso de cargo para fazer política. Se há uma coisa que eu não tenho necessidade é de poder", acrescentou.Apesar de reiterar as críticas ao governo federal na condução da política econômica, na área social e de infra-estrutura urbana, Erundina salientou que não tem satisfação em condenar as ações da atual gestão do País. Ela lembrou que apoiou Lula nas eleições de 2002 e demonstrou esperança na melhora da situação brasileira. "O resultado das eleições municipais poderá ser um alerta para que o governo Lula e as lideranças petistas acordem", observou.Indagada se ainda tem saudade dos tempos em que Lula era militante do PT, a ex-prefeita disse que sim e lembrou da época na qual os dois lutavam juntos pela liberdade sindical e pelo retorno da democracia. "Nós temos muito em comum. Somos de origem popular", afirmou, negando a existência de mágoas em relação ao presidente da República.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.