Erundina critica Lula e Marta e reafirma candidatura em SP

A ex-prefeita e deputada federal Luiza Erundina (PSB) reafirmou hoje que vai disputar a Prefeitura de São Paulo em outubro próximo. Durante palestra a empresários ligados ao Pensamento Nacional das Bases Empresariais (PNBE), ela não poupou críticas à gestão da atual prefeita Marta Suplicy, sua ex-colewga de PT. Mais tarde, depois do encontro, disse estar ?decepcionada? com o governo de Luiz Inácio Lula da Silva.Erundina afirmou que ?sem ou com aliados? será candidata a prefeita. ?Não tenha dúvida. Sou candidata independentemente de ter ou não aliados?, afirmou, acrescentando, no entanto, que irá procurá-los. ?A preocupação maior é construir uma proposta de consenso com algumas forças políticas. Mesmo que a gente não se junte no primeiro turno, estaremos juntos no segundo.? A deputada não descartou uma aliança, ainda no primeiro turno, com o PSDB. ?O que eu não abro mão é de ser cabeça de chapa. Se eles (tucanos) toparem sair como vice, podemos estar juntos desde o início da campanha?, afirmou ela.Administração MartaErundina, que foi eleita prefeita de São Paulo pelo PT em 1987, não poupou críticas à administração de Marta, apesar de ter apoiado a candidatura dela no segundo turno das eleições de 2000. Entre as que fez, incluiu a obra considerada vitrine do PT: o Centro Educacional Unificado (CEU). ?Aquilo (CEU) não é equipamento pedagógico. Não é projeto educacional, mas sim assistência social?, disse. ?O que não dá para negar é que tem (CEU) forte apelo eleitoral, assim como tinha o Cingapura e o PAS (programas do ex-prefeito Paulo Maluf (PP)?, continuou ela.A ex-prefeita criticou as obras viárias que estão sendo realizadas por Marta e a criação de tarifas. ?O que temos hoje é um volume fantástico de tributação?, comentou. Na avaliação de Erundina, as obras viárias em andamento não devem contribuir com a melhoria do trânsito na cidade. ?São Paulo não funciona mais dessa maneira. É preciso atuar junto com o governo estadual e investir em metrô?, observou ela, que foi bastante aplaudida pelos empresários.Erundina também fez um mea-culpa em relação à sua administração, entre 1988 e 1992. ?Cometi muitos erros e acertos. Mas não posso dizer que vou reeditar os acertos porque só eles já não são mais suficientes. Era uma São Paulo de mais de 10 anos atrás. Quanto aos erros, sei que não cometerei os mesmos, mas certamente cometerei outros?, afirmou. Entre os erros, disse que não deveria apenas ter governado com o PT, seu partido na época. ?Uma coisa é fazer barganha e ficar refém de vereador para ter maioria na Câmara. Isso eu não vou fazer. Mas vou chamar todos os partidos que quiserem ajudar São Paulo para conversar?, disse. E acrescentou: ?Hoje posso fazer isso porque não tenho um partido me infernizando como tinha na época.? Governo Lula Em relação ao governo federal, Erundina disse estar decepcionada com o governo Lula. ?A grande frustração é a política econômica, que não está resolvendo os problemas do País. Mas sim aumentando o desemprego, a pobreza, a violência e criminalidade?, afirmou.A deputada admitiu que tinha grande expectativa em relação ao governo Lula. E enfatizou que a política de governo do petista ?está absolutamente equivocada?. ?Até próprios setores do PT entendem assim e cobram mudanças?, comentou ela.Na avaliação de Erundina, se o governo federal manter a atual política ?as promessas de justiça social (bandeira de campanha de Lula) não vão acontecer.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.