Erundina ainda não cogita aliança para o 2º turno

A candidata da coligação PSB-PMDB à Prefeitura de São Paulo, Luiza Erundina, afirmou que não está cogitando ainda uma aliança para o segundo turno com candidatos melhores posicionados em pesquisas eleitorais, como o candidato do PSDB, José Serra, e a prefeita e candidata à reeleição pelo PT, Marta Suplicy. Segundo Erundina, ainda há tempo suficiente para a alteração do quadro atual, em que ela aparece em quarto lugar em todos os levantamentos dos institutos."Eu entendo que 19 ou 20 dias de campanha é tempo suficiente para alterar esse quadro, como ocorreu em outras oportunidades, inclusive em 1988, quando eu fui candidata e que (o resultado) se decidiu no dia da eleição", disse durante entrevista no Grupo Estado, na série de Eleições 2004 no Estadão. "Eu não cogito ainda segundo turno depois do primeiro porque eu ainda estou no páreo, estamos com a campanha se intensificando e eu avalio que temos chances de chegar ao segundo turno."Caso ela não alcance a próxima etapa eleitoral, a ex-prefeita de São Paulo comentou que a decisão de aliança será partidária, mas que ela não deixará de emitir sua opinião no momento oportuno. "É uma decisão partidária. Não cabe a mim discutir essa questão, mas vou evidentemente influir nessa discussão", disse Erundina. "Certamente, alianças não se fazem com pessoas, mas com propostas e com compromissos. E, pelo menos até agora, nenhuma das propostas dos dois candidatos que estão na frente das pesquisas coincide com a nossa", complementou. Erundina está sendo entrevistada pelos jornalistas Mariana Caetano (Estado), Ferdinando Casagrande (Jornal da Tarde), Elizabeth Lopes (Agência Estado) e Luiz Motta (Rádio Eldorado). A mediação é feita pelo jornalista Roberto Godoy, de O Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.