Erenice Guerra anuncia processos contra revista 'Veja'

Ministra diz que são 'calunias' as denúncias relacionando seu filho à prática de tráfico de influência

AE, Agência Estado

13 de setembro de 2010 | 16h23

A ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra, contratou o escritório de advocacia Tojal, Teixeira Ferreira, Serrano e Renault Advogados Associados para atuar em ações judiciais contra a revista Veja. Desta forma, a ministra pretende responder a uma reportagem publicada na edição desta semana da revista, que traz uma denúncia de tráfico de influência envolvendo assessores e um filho dela. As informações já tinham sido contestadas pelo ministério em nota à imprensa e foram classificadas como caluniosas pela ministra.

 

Veja também:

linkCai assessor de Erenice Guerra envolvido em denúncia

linkErenice pede para ser investigada pela Comissão de Ética Pública

linkFamília de Erenice também operou no Ministério de Minas e Energia

linkMinistra usou 'laranja' ao criar firma de arapongagem com filho

linkDenúncia de esquema na Casa Civil faz oposição pedir saída de ministra

 

Pela manhã, a ministra também solicitou à Comissão de Ética Pública da Presidência da República a imediata instauração de procedimento para apurar a sua conduta em relação às notícias publicadas pela revista. Na solicitação, a ministra reafirmou a disposição de abrir os seus sigilos bancário, telefônico e fiscal, se necessário, bem como os sigilos de seu filho Israel.

 

As informações constam de nota distribuída à imprensa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.