Erenice foi pega com 'mão na botija', diz Indio da Costa

O candidato a vice-presidente na chapa de José Serra (PSDB), Indio da Costa (DEM), disse hoje que a ex-ministra-chefe da Casa Civil Erenice Guerra e seus familiares foram pegos com a "mão na botija". A declaração foi feita durante debate entre os candidatos a vice-presidente da República organizado pela emissora de TV Record News e pelo portal de notícias R7.

ANNE WARTH, Agência Estado

16 de setembro de 2010 | 17h49

Indio da Costa questionou o que o candidato a vice de Marina Silva (PV), Guilherme Leal, faria com a chefe de um esquema semelhante caso isso ocorresse dentro de sua empresa. "O que está acontecendo na Casa Civil é muito sério. A apuração é absolutamente fundamental. A escolha de governos precisa ser transparente", respondeu Leal.

Repetindo declaração do presidente de honra do DEM, Jorge Bornhausen, Indio também insinuou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva teria ingerido bebida alcoólica em Santa Catarina, quando disse que o DEM era um partido que deveria ser "extirpado" da política brasileira. De acordo com ele, esse teria sido o motivo para o presidente ter dito o que classificou como "um bando de besteiras". "Depois do almoço, Lula falou aquele bando de besteiras. Não sei se ingeriu bebida alcoólica ou não."

Indio da Costa disse ainda que Lula estava irritado na ocasião porque iria inaugurar obras inacabadas - a primeira etapa da reforma do Porto de Itajaí - e uma estrada, a BR-101, "totalmente arrebentada". "Querem fazer de conta que a gente é bobo", disse.

Temer obteve direito de resposta por parte da organização do debate e justificou que Lula, "quem conhece sabe, bebe socialmente". Mas evitou dar importância ao assunto. "Com toda a franqueza, esse tipo de discussão não cabe no debate", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.