Equipe de Lula não permite que o Brasil vá para frente, diz ACM

O senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), considerado um aliado político do governo, subiu hoje à tribuna do Senado para criticar a falta de iniciativa do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para coibir as invasões de terras promovidas pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST). "Os sem-terra tomaram conta, infernizando, avermelhando com o discurso do Stédile (líder do MST João Pedro Stédile)", disse, referindo-se à invasão, na Bahia, da área de uma empresa de reflorestamento por 1.800 sem-terra, que destruíram 1,3 milhão de pés de eucaliptos, segundo o senador. Afirmando que se sente com autoridade para fazer essas críticas porque tem ajudado "demais" o governo, muitas vezes contrariando seu próprio partido, ACM afirmou que as invasões não podem continuar. ?É preciso haver reações. A Justiça tem que ser rápida na reintegração de posse e usar o aparato policial. Isso tem que acabar, e tem que acabar mesmo, se o presidente Lula quiser governar", afirmou.O senador baiano disse que deseja ajudar o presidente. "Mas sabendo que também ele quer ajudar o Brasil", criticou. "Com a equipe que Lula tem, este País não vai para frente". Ele avaliou que da atual equipe apenas cinco ministros são competentes, entre eles o da Fazenda, Antonio Palocci. "São 36 ministros que não têm competência e não estavam acostumados a governar", observou. "Governar é uma experiência que se adquire no trabalho diário do governo e, quem não tem experiência, vai ter três ou quatro infernizando seus ouvidos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.