Equipe da TV Record e integrantes do Greenpeace são reféns de madeireiros no PA

Uma equipe de reportagem da TV Record de São Paulo está sendo mantida refém por madeireiros acusados de contrabando de mogno na foz do Rio Xingu com o Amazonas, no Pará. A informação foi dada há pouco pela repórter Fernanda Fernandes, que seguiu para a região para produzir matéria sobre o assunto para o programa Repórter Record. Em contato telefônico mantido com o apresentador do programa Cidade Alerta, José Luís Datena, a jornalista contou que está sendo mantida refém junto com outras 400 pessoas que pertencem à comunidade local e integrantes do Greenpeace, que apoiou um protesto contra os madeireiros da região. Os madeireiros são acusados de explorar a madeira, as reservas naturais e terras indígenas naquela área do Pará. Segundo a repórter, quando a equipe da TV Record tentava voltar para São Paulo, hoje à tarde, com as fitas gravadas para o programa, a população foi incitada pelo prefeito Gérson Campos, do PSDB, para praticar um linchamento contra a jornalista e seus colegas. "Isso aqui é uma terra sem lei, Datena" - disse a jornalista. Apavorada, Fernanda afirmou que está muito preocupada e que vem tentando entrar em contato com a Polícia Federal e com o Ibama para conseguir deixar a área, mas ainda não obteve êxito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.