Episódio dos "Simpsons" no Brasil divide opiniões

Quando a bióloga Ana Paula Brandão Pinto, de 23 anos, morou na Espanha, um dos seus amigos europeus quis saber se elefantes atravessavam as ruas no Rio de Janeiro. O fato de ter sentido na pele a vergonha de morar "num país que tem a imagem de uma selva" fez com que ela se indignasse com episódio "Blame it on Lisa", dos Simpsons. O desenho, exibido na semana passada pela tevê americana, ironiza a vida na cidade. O transporte público é substituído por uma fila de dançarinos de conga, órfãos são vítimas de ataques de macacos, Bart Simpson é engolido por uma jibóia no Pão de Açúcar, e ratos impedem que pedestres atravessem a rua. O secretário municipal de Turismo, José Eduardo Guinle, estuda processar a produtora do desenho, a Fox Cable International, por danos à imagem do Rio."A idéia que eles têm é que a gente vive numa selva. Aqui pode ser meio desorganizado, mas somos civilizados", afirmou Ana Paula. A bióloga, porém, está descrente que Guinle conseguirá ser indenizado pela produtora. "Será que ele consegue? Acho que na verdade a Fox deveria colocar no fim do episódio que isso é só uma brincadeira e não tem nada disso por aqui".O desenhista industrial Renato Souto, de 26 anos, discorda da bióloga. Fã dos Simpsons, ele entende que a intenção dos produtores do desenho é fazer uma crítica bem humorada. "Se é essa a imagem que o Brasil passa lá fora, ele tem que pagar. A culpa é do nosso próprio País. Vivemos no país do carnaval. Aqui só tem atraso", afirmou. "Eu acho que a Fox não tem culpa de nada. O Guinle tem mais é que se preocupar em melhorar a imagem do país para depois reclamar alguma coisa lá fora".O problema é que o secretário alega justamente ter investido R$ 18 milhões nos últimos quatro anos para mudar a impressão que os estrangeiros têm do Brasil. "Esse desenho está retomando de forma agressiva algo que já estava esquecido há muito tempo. Na década de 50, acreditava-se que havia jacaré na Avenida Atlântica (Copacabana)", criticou. No ano passado, 220 mil americanos estiveram no Rio.Os Simpsons decidem vir ao Brasil depois que Lisa passa a se corresponder com um órfão carioca, Ronaldo. Ele vive no Orfanato dos Meninos Imundos, local que sofre constantes ataques de macacos. Guinle ainda não sabe se poderá processar a produtora americana - ele está consultando um escritório americano -, mas sugeriu que a Fox repassasse o lucro com o episódio para as obras sociais da prefeitura. "Se eles estão tão preocupados com os órfãos brasileiros, com a situação de pobreza dos nossos meninos, que destinem o lucro com o episódio para as obras sociais da prefeitura", desafiou o secretário. O arquiteto Alex Oliveira, de 29 anos, que há seis anos é eleito o Rei Momo do carnaval carioca, também não gostou do desenho. "Se eles querem satirizar a violência, que façam graça com os ataques terroristas", disse. A violência no Rio é lembrada em cenas em que Homer Simpson é seqüestrado por um motorista de táxi e é assaltado por menores de rua na orla. Quando Marge vai à delegacia dar queixa do seqüestro do marido, ela é assediada pelo policial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.