ENTREVISTA-Brasil pode permitir capital privado na Infraero

O governo brasileiro decidirá até meados de 2011 se vai permitir investimentos privados na Infraero, empresa que administra os aeroportos do país, informou a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, em entrevista na segunda-feira.

LOUISE EGAN, REUTERS

28 de março de 2011 | 21h49

Tal decisão seria um sinal forte da vontade do governo de confiar mais no financiamento por parte do setor privado para modernizar seus aeroportos --alguns em condições precárias-- e outras infraestruturas a tempo para a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016.

A ministra disse que um estudo independente encomendado pelo governo recomendou que a Infraero lançasse uma oferta pública inicial.

"O projeto inicial seria a abertura de capital da Infraero por meio de um IPO", afirmou Miriam à Reuters.

"Temos a sensação de que isso seria necessário para melhorar a governança da empresa", disse em entrevista depois do encontro anual do Banco Interamericano de Desenvolvimento, em Calgary, no Canadá.

Ela também respondeu às preocupações do mercado de que a inflação no Brasil está atingindo níveis desconfortáveis, dizendo que a combinação de aperto fiscal e monetário levaria a taxa de inflação anual para o centro da meta do governo, de 4,5 por cento.

Os investidores que são céticos sobre a capacidade do país de seguir com os cortes no orçamento ou conter a inflação só precisam olhar para os registros do país durante a última década, disse ela.

"O Brasil já mostrou que o país é capaz de fazer sua lição de casa."

Miriam afirmou que uma decisão final sobre o tamanho do papel dos investidores privados na melhoria dos aeroportos brasileiros deverá ser tomada no primeiro semestre do ano.

A maior economia da América Latina está sob pressão para corrigir deficiências no seu programa de infraestrutura, que prevê 1 trilhão de dólares em projetos de construção ao longo da próxima década.

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, advertiu na segunda-feira que o Brasil precisa acelerar os preparativos para sediar o Mundial de 2014. Miriam e o ministro do Esporte, Orlando Silva, disseram que o temor não tinha fundamento.

O próximo passo para o plano de melhoria dos aeroportos vai ser a publicação, no fim de março ou início de abril, dos termos da licitação para concessão do aeroporto de Natal (RN), ela disse.

Mais conteúdo sobre:
POLITICABELCHIORENTREVISTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.