Entrega de relatório a Jader causa polêmica

A decisão da juíza em exercício da 15ª Vara Cível de Belém, Rosileide Barros, que determinou ao Ministério Público Estadual a entrega, dentro de dez dias, ao senador Jader Barbalho de cópia do relatório do Banco Central sobre desvio de recursos do Banpará está provocando polêmica entre a juíza e os três promotores que investigam o caso.Enquanto Rosileide entende que Jader tem o direito constitucional de obter os documentos que tratam de seu envolvimento no caso, os promotores Hamilton Salame, Agar Jurema e João Gualberto afirmam que o senador, com o relatório do BC em mãos, irá quebrar o sigilo bancário dos outros envolvidos, entre estes familiares do próprio senador, empresários e diretores do Banpará."Haverá danos irreparáveis aos outros envolvidos, que poderão processar o MP por quebra de sigilo", argumentam os três promotores. Eles também se dizem impedidos pela Lei Federal nº 8.625/93 de fornecer informações e documentos adquiridos por requisição, como o caso do relatório fornecido pelo Banco Central.O agravo de instrumento impetrado pelos promotores contra a decisão de Rosileide Barros será distribuído na próxima terça-feira a um desembargador do Tribunal de Justiça.Nesta sexta-feira, em várias agências bancárias de Belém, o Sindicato dos Bancários do Pará e Amapá intensificou a coleta de assinaturas para pedir ao Conselho de Ética do Senado a renúncia de Jader. "Já temos mais de quatro mil assinaturas e devemos chegar a dez mil neste final de semana", informou a presidente do sindicato, Vera Paoloni.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.