Entre clientes, petistas e tucanos

Marcos Valério Fernandes de Souza, 47 anos, ficou famoso em 2005 quando o País conheceu o mensalão, esquema de pagamento de propinas à base aliada do governo Lula no Congresso. Sócio-proprietário de duas agências de comunicação de Minas, a DNA e a SMPB, ele começou sua carreira prestando serviços a campanhas eleitorais de políticos, inicialmente para os do PSDB e depois para o PT, criando mecanismo chamado de valerioduto, por meio do qual irrigou suposto esquema de financiamento irregular de campanhas com recursos públicos e doações privadas ilegais.No início de junho de 2005, o caixa 2 do mensalão foi desmascarado pelo então deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ). Valério teria contado com a colaboração de Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT, supostamente sob as ordens de José Dirceu, na época ministro da Casa Civil e nome forte do governo Lula.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.