Entidades lamentam a morte de José Alencar

O presidente em exercício da Ordem dos Advogados do Brasil em São Paulo (OAB-SP), Marcos da Costa, divulgou nota hoje na qual classificou o ex-vice-presidente José Alencar como um "exemplo para todos nós". De acordo com ele, o político foi "um grande homem público" que "privilegiou o interesse social".

EQUIPE AE, Agência Estado

29 de março de 2011 | 17h27

"Lutou bravamente pela vida, nunca se deixando abater pelo avanço da doença", ressaltou na nota. "Foi um guerreiro, um empresário bem sucedido e um político que privilegiou o interesse social e que ajudou, de forma decisiva, a tornar o Brasil um país mais justo para todos os brasileiros", afirmou.

Alencar faleceu às 14h41 de hoje, em decorrência de câncer e falência múltipla de órgãos. O ex-vice-presidente tinha 79 anos. O presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Rogério Amato, também lamentou, por meio de nota, a morte do ex-vice-presidente. "Tenho em José Alencar um exemplo: representa uma geração de empreendedores que dedicou sua vida para construir um Brasil melhor", destacou.

O ex-presidente da ACSP, hoje presidente do Conselho Deliberativo do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo (Sebrae-SP), Alencar Burti, ressaltou que Alencar deixa "uma lição que não será esquecida". "Pela coragem com que defendeu a vida, sem nunca perder a alegria", afirmou.

Em nota, a Força Sindical ressaltou que o ex-vice-presidente foi um "grande homem" e teve papel de destaque no "processo de desenvolvimento do Brasil". "Ele manteve uma luta feroz contra a especulação financeira e contra os juros altos. Alencar foi um exemplo para todos os brasileiros que lutam pela consolidação da democracia e por um país mais justo e solidário".

O presidente da Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib), Paulo Godoy, também elogiou a trajetória política do ex-vice-presidente. "Alencar buscou defender teses e princípios importantes para o crescimento da indústria e da economia brasileira, sempre prezando pelo desenvolvimento e justiça social".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.