Entidade apoia analista do Ministério das Cidades

A Associação Nacional de Analistas e Especialistas em Infraestrutura (Aneinfra) divulgou hoje nota em apoio e solidariedade ao analista de infraestrutura, Higor Guerra, que foi pressionado no Ministério das Cidades a alterar parecer técnico sobre projeto de transporte público em Cuiabá. Ao mesmo tempo a associação repudia atitudes dos gestores da Secretaria Nacional de Mobilidade Urbana,do Ministério, que forjaram a nota técnica, aumentando os custos em R$ 700 milhões.

ROSANA DE CASSIA, Agência Estado

28 de novembro de 2011 | 12h15

"O fato publicado reitera a necessidade de reforçar não só os quadros operacionais dos ministérios com técnicos qualificados, mas também os quadros gerenciais. O técnico citado nas reportagens é Analista de Infraestrutura ingresso por concurso público em 2008 e sua postura reflete o posicionamento da carreira quanto à necessidade de avaliação minuciosa dos projetos, especialmente os de grande envergadura", afirma a nota da associação, referindo-se à reportagem do Estado, que denuncia a fraude.

Ontem, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Higor confirmou a pressão que sofreu para adulterar o processo que trata da implantação de sistema de transporte público em Cuiabá para a Copa do Mundo de 2014. Ele disse que a operação fraudulenta começou após o Ministério Público de Mato Grosso pedir os documentos e a Controladoria-Geral da União (CGU) emitir parecer contrário à obra. Aneinfra acrescenta na nota que reconhece e exalta a conduta de Higor Guerra e protesta contra as atitudes de sua cadeia hierárquica no episódio.

Tudo o que sabemos sobre:
CuiabátransporteCopafraudeanalista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.