Entidade alerta para perseguição a MST

O coordenador do Movimento Nacional de Direitos Humanos, Gilson Cardoso, alerta para "onda de perseguições, ofensas, calúnias, difamações, prisões arbitrárias e processos contra as lideranças sociais", iniciada no Rio Grande do Sul. O Movimento dos Sem-Terra (MST) acusou o Ministério Público gaúcho de traçar estratégias para, entre outras ações, proibir deslocamentos do grupo e criminalizar lideranças. No dia 28, audiência sobre o tema ocorrerá em Porto Alegre, da qual participarão deputados, senadores e sem-terra. "Ninguém pode ser proibido de fazer suas ações, suas passeatas", disse Cardoso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.