Enterro de Mestrinho reúne 2 mil pessoas em Manaus

Ex-governador e ex-senador, Gilberto foi também presidente do PMDB no Amazonas

LIEGE ALBUQUERQUE, Agencia Estado

21 de julho de 2009 | 15h25

Mais de duas mil pessoas lotaram nesta terça-feira, 21, o cemitério São João Baptista, em Manaus, para o enterro do ex-governador e ex-senador Gilberto Mestrinho, que era também presidente do PMDB no Amazonas. O corpo do político saiu em carreata num carro do corpo de bombeiros às 9 horas e passou por avenidas do centro e de bairros da zona sul de Manaus, seu reduto político tradicional. Mestrinho foi enterrado sob o som de seu jingle mais conhecido, "Boto Navegador", cantado pelo cantor Davi Assayag. Seu caixão foi levado por policiais militares, em uniformes de gala, do carro dos bombeiros até o túmulo.

Pelas ruas da cidade e no cemitério, as pessoas acenavam com bandeiras do Amazonas e cartazes de campanhas antigas, com um timão como símbolo. No cemitério, as pessoas subiram em árvores ou em sepulturas para ver melhor o cortejo. "Eu não tenho mais em quem votar, com essa honestidade e preocupação com o povo", disse o industriário José Eduardo Girão, de 58 anos.

Junto à família de Mestrinho, o prefeito de Manaus, Amazonino Mendes (PTB), e o senador Artur Virgílio (PSDB-AM) choravam. "Mestrinho, ao adoecer no Rio de Janeiro, onde morava, pediu para voltar para Manaus. Veio morrer o cacique entre seus índios, homenageado com seu amor", disse Virgílio em discurso, em que enalteceu o estilo "sereno e ponderado" do político.

Tudo o que sabemos sobre:
Gilberto MestrinhoenterroAM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.