Entenda os questionamentos ao impeachment no STF

1. O que os deputados votaram na sessão desta terça?

O Estado de S.Paulo

09 de dezembro de 2015 | 07h19

Em votação secreta, a Câmara elegeu nesta terça-feria, 8, por 272 votos a 199, a chapa alternativa integrada por deputados de oposição e dissidentes da base governista para a Comissão Especial que vai analisar o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. O pedido de impeachment da petista foi aceito na semana passada pelo presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

2. Por que duas chapas se apresentaram para a disputa?

Inicialmente, a Comissão Especial do impeachment seria formada por 65 integrantes indicados por líderes partidários conforme a regra de proporcionalidade. No entanto, na segunda-feira, deputados da oposição e dissidentes do PMDB reivindicaram a possibilidade de lançar uma chapa avulsa, o que foi autorizado por Eduardo Cunha. O objetivo da “chapa paralela” era compor um grupo do PMDB crítico a Dilma, já que o líder da bancada na Câmara indicou nomes “moderados”, segundos alas do partido.

3.Qual foi a causa do tumulto na sessão 

Deputados governistas tentaram obstruir a sessão de ontem e chegaram a quebrar urnas. Alguns entraram nas cabines de votação e impediram parlamentares de votar. Houve tumulto, registros de agressões e bate-boca entre oposicionistas e governistas, que questionaram, por exemplo, o fato de a votação ter sido secreta e a legitimidade da “chapa paralela”. Presidente da Câmara, Eduardo Cunha teve de chamar a segurança legislativa para que a votação tivesse prosseguimento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.