Entenda o que são os cartões corporativos do governo

Os cartões corporativos foram introduzidos no governo FHC, para, segundo o governo, facilitar a transparência das contas.No dia 13, o Estado revelou que ministros do governo Lula registraram altos gastos com cartão para quitar despesas de viagem.   Entenda o mecanismo dos cartões:       Objetivo:    O objetivo era diminuir os gastos por meio da comprovação de notas, um procedimento de prestação de contas menos transparente. O governo argumentou, em ofício encaminhado ao TCU no fim do ano passado, que os gastos com suprimentos de fundo estão sendo substituídos pelo cartão corporativo.   A polêmica:   A pedido da Comissão de Ética Pública, a Controladoria Geral da União investigará os gastos feitos pela ministra Matilde Ribeiro, da Igualdade Racial. Em 2007, ela gastou R$ 14,3 mil mensais, mais que os R$ 10,7 mil de seu salário. O secretário especial da Pesca, Altemir Gregolin, também está na mira do órgão.   Decreto do presidente Lula:   O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinará um decreto que altera as regras para uso dos cartões. As principais medidas:   - Proibição de saques em dinheiro para pagamento de despesas que poderiam ser pagas com o próprio cartão   - Proibição do uso do cartão corporativo para compra de bilhetes aéreos e pagamento de diárias a servidores.   - Encerramento do prazo de 60 dias de todas as contas correntes abertas em nome de servidores, onde são depositadas verbas relativas ao suprimento de fundos do Tesouro. O ministro Jorge Hage explicou que essas contas correntes são conhecidas dentro do governo como contas "tipo B".   Quanto a Presidência e os ministérios tiveram de despesa com os cartões corporativos nos últimos quatro anos:   Em 2004-  R$14.151.234 Em 2005- R$21.706.270 Em 2006- R$33.027.380 Em 2007- R$75.656.354       Ministros titulares do benefício:                                                                2006               2007   Matilde Ribeiro (Igualdade Racial) -   R$55.532           R$ 171.556   Orlando Silva(Esporte)-   R$10.758                             R$20.112   Altemir Gregolin* (Pesca)-    R$19.190                        R$22.652   (* Inclui gastos de José Fritch (R$5.815) que o antecedeu)   Guilherme Cassel (Desenvolvimento Agrário) -   R$2.940      R$3.132   Marina Silva (Meio Ambiente) -   R$2.758                              R$2.431   Reinhold Stephanes** (Agricultura)   R$0                             R$5.368   (** Tomou posse em março de 2007, e seu antecessor não usava o cartão)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.