Ensino à distância garante formação superior a professores

Em dezembro deste ano, 7 mil dos 9,4 mil professores da rede estadual de ensino de São Paulo que trabalham com o ensino de 1ª a 4ª séries terão diploma de nível superior, cumprindo a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB). Isso foi possível graças ao ensino à distância. A Secretaria da Educação organizou um curso para formar os professores com duração de dois anos, o PEC-Formação Universitária, gerenciado pela Fundação Vanzolini, da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. No ano que vem, o curso será estendido para professores que lecionam em escolas municipais do Estado.Sete mil professores da rede estadual participam do curso, divididos em 186 grupos de 40 alunos, em média. Eles têm hoje a formação de nível médio, diplomados por completarem o Magistério, mas a LDB exige que até 2006 todos os professores do ensino fundamental tenham formação superior. Ao terminar as aulas do PEC, os professores terão diploma de licenciatura plena para exercer o magistério de 1ª a 4ª séries.A Secretaria de Educação investiu R$ 50 milhões no projeto, incluindo a formação de 34 diretorias de ensino equipadas, inclusive, para aulas em teleconferência. As aulas são dadas por professores da USP, da Universidade Estadual Paulista (Unesp) e da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP)."A diferença desse curso é que os professores não precisam deixar suas regiões, pois usamos mídia interativa para complementar as aulas presenciais", disse a coordenadora executiva do PEC, Beatriz Leonel Scavazza. Em cada grupo, há professores das universidades coordenando as aulas presenciais, que são diárias, de quatro horas e ministradas nos Centros de Formação e Aperfeiçoamento do Magistério. A cada quinze dias, os alunos-professores também têm seis horas de aula aos sábados. Quando terminarem, terão cumprido 3,1 mil horas de carga horária. Neste sábado, os alunos-professores terão a 14ª teleconferência do curso, em que será debatido o ensino da Língua Portuguesa, e que será transmitida pela TV Cultura para a Rede PEC. Os participantes poderão enviar perguntas em tempo real, por e-mail ou fax. Eles utilizam três mídias interativas no curso: a videoconferência, monitoramento on line dos trabalhos pela Internet e as teleconferências transmitidas via satélites. Toda a estrutura ficará montada e poderá ser usada para outros cursos de capacitação dos professores quando se encerrar as aulas desse turma.A Secretaria da Educação oferecerá a estrutura tecnológica do PEC para a formação dos professores das rede municipal. "Ainda estamos articulando a expansão com as secretarias municipais de Educação. Sabemos que há 24 mil professores da educação infantil e de 1ª a 4ª séries que precisam se adaptar à exigência da Lei de Diretrizes e Bases da Educação", disse. O número de vagas a serem abertas ainda será determinado, mas Beatriz acredita que pelo menos 12 mil alunos-professores dos municípios poderão participar do projeto.A Fundação Vanzolini está treinando funcionários da Secretaria da Educação para o gerenciamento do projeto. Há uma central de operações na capital paulista, de onde é possível verificar desde a produção do material didático a ser usado e sua inclusão na Internet. O treinamento é feito para que a secretaria possa utilizar a estrutura em outros cursos de capacitação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.