Ensaio da posse presidencial tem 'sósia' de Dilma

Diretora da secretaria de Relações Públicas do Senado, Juliana Rebelo, virou atração dos turistas que visitavam a Esplanada na hora do ensaio

ADRIANA FERNANDES, Agência Estado

19 Dezembro 2010 | 20h16

Servidora Juliana Rebelo ensaia posse de Dilma (foto: Dida Sampaio/AE)  

 

Com direito a uma espécie de sósia da presidente eleita, Dilma Rousseff, os organizadores da posse presidencial fizeram hoje o primeiro ensaio da cerimônia na Esplanada dos Ministérios e no Congresso Nacional. Cerca de 70 mil pessoas estão sendo esperadas para o evento, que começa às 14h do dia 1º de janeiro na Catedral de Brasília.

Dilma recomendou que não fossem colocadas escoltas de cavalos e nem de motos na frente e ao lado do Rolls Royce, o histórico carro presidencial que vai levá-la da Catedral até o Congresso, onde tomará posse como presidente do Brasil. Ele quer ter a visão livre e ficar mais próxima da população durante o trajeto.

Os assessores da futura presidente chegaram a discutir com os militares, que queriam manter a tradição com a escolta de cavaleiros dos Dragões da Independência. Para atender ao pedido de Dilma, o protocolo do cerimonial será alterado.

Apenas dois cavaleiros dos Dragões da Independência ficarão emparelhados, em cada lateral à frente do Rolls Royce, onde estará Dilma. Eles serão responsáveis em conduzir o ritmo de velocidade da comitiva, que não poderá ultrapassar 40 km por hora. Atrás do Rolls Royce, virão o carro do vice-presidente eleito, Michel Temer, e um veículo reserva para o caso de uma emergência. Somente depois dos três veículos é que seguirá a escolta dos Dragões, com 37 cavaleiros.

Escolhida na hora para fazer o papel da presidente eleita, a diretora da secretaria de Relações Públicas do Senado, Juliana Rebelo, virou atração dos turistas que visitavam ontem a Esplanada na hora do ensaio. A funcionária do Senado, que já trabalhou em três cerimônias de posse e não se acha parecida com a presidente, desceu a rampa do Congresso ao lado do comandante do batalhão da Guarda Presidencial, Elias Martins, e depois simulou uma revista da tropa. "Presidente" por um dia, Juliana disse que foi tudo inesperado, mas a oportunidade permitiu ter uma visão melhor da cerimônia.

No dia da posse, uma tropa mista de militares do Exército, Marinha e Aeronáutica, estará esperando a presidente do lado de fora do Congresso para honras militares. O ensaio geral, que contará com o Rolls Royce presidencial, está marcado para dia 26. O motorista Valdecir da Silva Ribeiro foi escolhido para conduzir Dilma. Ele já trabalhava com ela na Casa Civil e tem feito o treinamento para guiar o carro mais famoso do Brasil. "Está tudo pronto. Ele está tinindo", disse Valdecir.

Mais conteúdo sobre:
Dilma Rousseff ensaio posse

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.