Engenheiros dizem que P-36 tinha problemas

A plataforma P-36 da Petrobrás já apresentava problemas dez dias antes da explosão do dia 15 de março, de acordo com denúncia recebida pela comissão externa da Câmara que apura as causas do acidente, que provocou a morte de 11 pessoas. Segundo o relato feito por engenheiros da estatal a deputados, pelo menos duas colunas de sustentação da P-36 apresentavam trincas e rachaduras, e teriam sofrido obras de manutenção durante esse período. Ainda de acordo com a denúncia, a coluna que sofreu a explosão teria rachaduras no flutuador. "Recebemos essas informações e vamos exigir da direção da Petrobrás que nos forneça todos os boletins dos dez dias que antecederam o acidente", afirmou o presidente da comissão, deputado Luiz Antônio Fleury Filho (PTB-SP). Segundo a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), a denúncia teria sido feita por engenheiros da Petrobrás, que não tiveram a identidade revelada. A direção da empresa ainda não se manifestou sobre o assunto.Boletins técnicos dos três dias que antecederam o acidente já foram divulgados pela Petrobrás, mostrando problemas com equipamentos que precisavam ser trocados. O deputado Luciano Zica (PT-SP) afirmou que a bancada de seu partido entrará com representação no Ministério Público contra a diretoria da Agência Nacional do Petróleo (ANP) para apurar "crime de omissão" em relação ao acidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.