Encontro vai discutir saúde bucal do brasileiro

Começa nesta quinta-feira em Brasília a 3.ª Conferência Nacional de Saúde Bucal. O encontro, promovido pelo Ministério da Saúde, deve reunir mais de 1.500 usuários e gestores do Sistema Único de Saúde (SUS), além da comunidade acadêmica. Durante quatro dias eles vão avaliar a política de saúde bucal do Governo Federal.A Conferência também vai analisar a previsão do Ministério da Saúde de investir, até o fim de 2006, R$ 1,3 bilhão na saúde bucal da população, e a instalar 400 centros odontológicos em todo o País. Mas o foco principal da conferência será o enquadramento da atenção em saúde bucal em duas das principais diretrizes do SUS: a universalidade e a integralidade. A conferência será dividida em quatro temas, considerados os principais pontos de discussão do setor atualmente: educação e construção da cidadania; controle social e gestão participativa; formação e trabalho, e financiamento e organização da atenção em saúde bucal.Segundo o coordenador nacional de Saúde Bucal do Ministério da Saúde, Gilberto Pucca, falta acesso amplo a serviços odontológicos básicos no País. Além disso, cerca de 40 milhões de pessoas não têm acesso à escova e pasta de dente. "Isso não significa que o brasileiro não cuide bem dos seus dentes. O caso é que ele não tem condição financeira de se tratar", disse. O país tem 8 milhões de desdentados e outros 30 milhões nunca foram ao dentista, sendo que 13% são adolescentes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.