Encontro discute formação de educador infantil

O Movimento Interfóruns de Educação Infantil do Brasil (Mieib) vai apresentar hoje, no encerramento do seu XI Encontro Nacional, que se realiza em Olinda (PE), uma moção contra o Ministério da Educação e Cultura (MEC). De acordo com o Mieib, o MEC não está aceitando os programas de formação continuada de educadores infantis propostos por Estados e municípios."Isto atrasa a luta pela formação do educador infantil e tira a autonomia dos municípios, que têm o direito de construir sua política de formação local", afirmou a coordenadora do Núcleo de Educação da Fundação Orsa, de São Paulo, Vera Melis, que trabalha em parceria com o Mieib. Segundo ela, o MEC não está legitimando programas alternativos que levam em conta as especificidades de cada local e o estágio atual dos educadores, limitando-se a aprovar unicamente os programas que sigam os parâmetros e exigências curriculares que o próprio Ministério determina como padrão.O encontro teve início ontem e reuniu representantes de 12 dos 14 Estados brasileiros que já criaram seu Fórum Estadual de Educação Infantil. Mais de 2 mil educadores infantis - que trabalham em creches e na pré-escola - lotaram o Teatro Guararapes, no Centro de Convenções.Criado em 1999, o Mieib tem como bandeira de luta a formação do educador infantil e a defesa da educação infantil, incluindo políticas públicas que priorizem esta etapa da educação. A rede pública brasileira atende atualmente 9% da população de 0 a 3 anos, nas creches, e 48% das crianças de idade entre 4 e 6 anos, na pré-escola."Ainda há uma visão de que a educação infantil não tem tanta importância, o que se reflete na diminuição crescente da oferta na rede pública e um aumento na rede privada", reclamou a representante da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, Tereza Leitão. "A educação infantil é um dever do Estado e um direito das crianças e de suas famílias", complementou a representante do Fórum de Educação Infantil do Rio de Janeiro, Fernanda Nunes, ressaltando também a necessidade de se oferecer escolaridade aos profissionais da área, cuja maioria não cursou o ensino médio como exige a Lei de Diretrizes de Base da Educação Nacional.Vera Melis disse ainda que o Mieib prega a educação infantil não como uma preparação para o ensino fundamental, mas como uma etapa plena em si mesma, dentro de uma visão integral da criança e do aprendizado continuado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.