Empresas investiram R$ 4,7 bi na área social em 2000

Em 2000, as empresas brasileiras investiram R$ 4,7 bilhões na área social, incluindo desde doações até projetos melhor estruturados de atendimento à comunidade. Esse é um dos resultados de um estudo realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que será divulgado oficialmente nesta terça-feira.O estudo revela, em nível nacional, o perfil do investimento e da atuação social das empresas. Já foram apresentados, ao longo dos últimos três anos, os resultados para cada uma das cinco regiões do País. "Esses dados comprovam que há uma injeção de recursos privados na área social, porém com fins públicos", analisa a coordenadora-geral da pesquisa, Anna Maria Peliano. Ela é a responsável pelos estudos regionais. Segundo a pesquisa, 59% das empresas brasileiras têm algum tipo de atuação social. Em geral, as empresas mantêm projetos e ações voltadas para os funcionários ou para a comunidade da região onde estão instaladas. O levantamento mostra ainda que não existe muita diferença no comportamento dos empresários dos diferentes setores da economia. No comércio, 61% das empresas dão algum tipo de contribuição para a comunidade. No segmento industrial, a participação é de 60% e, no setor de serviços, 58%. Os índices de participação mais baixos foram registrados na agricultura (45%) e na construção civil (35%). Na Região Sudeste, cerca de 300 mil empresas realizam algum tipo de ação social para a comunidade. A maior parte delas fica no Estado de São Paulo (59%). Em geral, elas são de pequeno porte (53%) e do setor comercial (52%). Outras 200 mil empresas dedicam-se a ações para seus funcionários e para a comunidade. As áreas que prevalecem são a de assistência social e a de alimentação. Mas as empresas de grande porte também se dedicam às ações sociais: 42% das empresas de maior porte apóiam programas de assistência à comunidade, aponta o levantamento do Ipea na Região Sudeste. Outro dado da pesquisa é a intenção de ampliar o atendimento: em geral, as empresas vinculam o aumento do atendimento com o crescimento da companhia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.