Empresários são indiciados por superfaturamento no MT

Nove empresários e três servidores da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra) do Mato Grosso foram indiciados pela Delegacia Fazendária por fraude em licitação, corrupção passiva e formação de quadrilha no inquérito que investigou o superfaturamento de R$ 44 milhões na compra de maquinários para o Programa "MT 100% equipado" pelo então governador, Blairo Maggi.

FÁTIMA LESSA, Agência Estado

15 de novembro de 2010 | 17h45

As investigações foram divididas em três inquéritos. A primeira investigou o superfaturamento. O segundo investigará suposta fraude de caminhões e máquinas para formação das patrulhas rodoviárias. Segundo a delegada responsável, Alana Cardoso, este está em fase adiantada e aguarda laudo da auditoria do Estado para ser concluído. Já o terceiro, que ainda será aberto, deverá investigar indícios de lavagem de dinheiro.

A delegada Cardoso disse que, com relação ao primeiro inquérito, a fraude ocorreu no processo de licitação e os bens adquiridos foram entregues de acordo com o edital, havendo irregularidades apenas nos pneus das máquinas. O inquérito policial continua sob segredo de Justiça.

Ela acredita que os dois últimos inquéritos só deverão ser concluídos no próximo ano. Segundo ela, o primeiro depende de um relatório da Auditoria Geral do Estado (AGE) sobre dados fiscais para ser concluído. Até agora não há informações se a AGE conseguirá finalizar o documento. Também faltam os extratos bancários dos suspeitos que poderão apontar ou não se houve indícios de corrupção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.