Empresários propõem debate com pré-candidatos

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) acertou com os líderes dos principais partidos políticos do País a realização de um grande debate com todos os pré-candidatos às eleições presidenciais de outubro. O evento será realizado no dia 11 de abril, das 9h às 14h, na sede da CNI em Brasília. O debate será feito com base na "Agenda da Indústria", documento que está sendo elaborado pela CNI com sugestões dos industriais sobre temas como sistema tributário, política industrial, segurança e educação.Segundo o presidente da entidade, Fernando Bezerra, o documento - que deve ser concluído até o final de março - será entregue a cada um dos pré-candidatos uma semana antes do evento. Haverá uma exposição inicial de empresários sobre cada um dos temas abordados na agenda e, em seguida, cada um dos pré-candidatos terá 20 minutos para expor idéias sobre o documento. Os empresários poderão, na sequência, fazer perguntas aos presidenciáveis presentes."Não haverá debate entre os pré-candidatos, mas se algum deles citar nominalmente outro, este segundo terá direito a uma réplica", disse Bezerra. A CNI pretende convocar apenas os pré-candidatos como "viabilidade eleitoral".Segundo Bezerra, já está garantido o convite ao presidente de honra do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, à governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PFL), ao governador do Rio de Janeiro, Antonhy Garotinho (PSB), ao ministro da Saúde, José Serra (PSDB), e ao ex-ministro da Fazenda Ciro Gomes (PPS). "Se o PMDB tiver candidato até lá, nós o convidaremos", disse o presidente da CNI.A reunião da CNI com líderes de partidos contou com a participação dos senadores Jorge Bornhausen (PFL) e Roberto Freire (PPS), e dos deputados Márcio Fortes (PSDB), Michel Temer (PMDB), José Carlos Martinez (PTB) e Eduardo Campos (PSB). Não compareceram nem mandaram representantes os presidentes do PT, PDT e PPB.Apesar do convite, Bezerra disse que ainda não houve uma confirmação oficial por parte dos partidos da participação dos pré-candidatos. "O PFL disse que irá consultar sua candidata e os demais líderes do partido", disse Bezerra. Segundo ele, a idéia da entidade é dar uma contribuição ao debate sucessório e sobre quais serão os rumos do País a partir de 2003. "É uma forma diferente de discutirmos com os pré-candidatos o que pensam sobre o futuro do País", afirmou.Durante o debate estarão presentes, segundo o presidente da CNI, a "nata" do empresariado brasileiro. Por meio de um link de rádio e TV, o evento estará sendo acompanhado em todas as federações de indústria espalhadas pelo País. Haverá um sinal aberto para que todas as rádios e TVs a cabo do País possam transmitir o evento ao vivo. Segundo Bezerra, os líderes partidários que participaram da reunião propuseram que as TVs Câmara e Senado também transmitam o encontro ao vivo.Bezerra garantiu que a CNI não tem e não terá candidato. "Queremos, efetivamente, dar uma contribuição para que a sociedade tenha parâmetros para discutir o futuro do País", disse. Ele também confirmou que a formalização da "Agenda da Indústria" permitirá à CNI "cobrar" do futuro presidente tudo o que foi apresentado pela entidade e o que foi debatido e defendido durante o encontro em abril.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.