Empresários parecem estar saturados com crise Palocci, diz Skaf

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, afirmou que o empresariado parece estar "saturado" do assunto relativo à crise envolvendo o ministro da Fazenda, Antonio Palocci.Essa percepção, segundo ele, é baseada no fato de que há três ou quatro meses, quando a crise envolvendo Palocci teve um outro momento de pico, o assunto era abordado em todas as reuniões envolvendo empresários. Mas agora o tema não tem sido levantado pelas pessoas nas reuniões em que Skaf tem participado. Ele fez uma referência específica a uma reunião ocorrida na última segunda-feira, na Fiesp, com o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, quando o assunto não foi abordado em nenhum momento "antes, durante ou depois da reunião". Questionado se haveria alguma preocupação de que a queda do ministro Palocci poderia causar transtornos na economia, Skaf relembrou resposta dada por ele há alguns meses atrás: "o Brasil é maior do que qualquer brasileiro e ninguém é insubstituível". Skaf acrescentou que não tem nada contra Palocci.Magliano: mercado está tranqüilo com Palocci ficando ou saindoO presidente da Bovespa, Raimundo Magliano, afirmou que o mercado financeiro está tranqüilo e ficará assim com o ministro da Fazenda Antonio Palocci ficando ou saindo do governo. "Essa á a visão geral hoje", disse Magliano ao chegar para a reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, no Palácio do Planalto. Ele disse que as instituições já demonstraram, durante a crise política, que são fortes. Por isso, ele não vê possibilidade de turbulência numa eventual saída de Palocci do ministério.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.