Empresários de Piauí decidem boicotar produtos Philips

Empresários do Piauí decidiram realizar um boicote aos produtos da marca Phillips em protesto à declaração de Paulo Zottolo, presidente da empresa no Brasil, que afirmou em entrevista que "se o Piauí deixasse de existir, ninguém ficaria chateado com isso". O Grupo Claudino, que tem mais de 300 lojas de departamentos em dez estados e era o quinto maior comprador da Philips no Brasil, mandou suspender negócios com a empresa e retirar todas os produtos das lojas. Um dos diretores do Grupo, João Claudino Júnior, disse que recebeu ligações do executivo da Philips pedindo para reconsiderar, mas não desistiu da idéia. O senador João Vicente Claudino (PTB-PI), vice-líder do Governo no Senado e um dos executivos do Grupo Claudino, disse que o grupo empresarial de seu pai não pretende mais comprar produtos Philips por tempo indeterminado. "Isso é até pouco diante do que o presidente da Philips disse do Piauí", comentou.Hoje foi realizada uma sessão solene na Câmara Federal pelo aniversário de 155 anos de Teresina. O evento virou uma sessão de repúdio e críticas às declarações do executivo da Philips. Deputados federais de vários estados se mostraram indignados com o posicionamento de Paulo Zottolo. O deputado federal pernambucano Fernando Ferro (PT) disse que este tipo de declaração é preconceituosa e não afeta apenas o Piauí, mas todas as regiões mais pobres do país. Ele prometeu conclamar os empresários do seu Estado a também fazerem um boicote aos produtos Philips.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.