Empresário depõe na CPI protegido por habeas corpus

A CPI dos Bingos toma hoje três novos depoimentos, a partir das 10h30, no Senado. O empresário de Ribeirão Preto (SP) Roberto Carlos Kurzweil, vai depor na condição de investigado e protegido por um habeas corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Ele teria participado da operação de transporte dos dólares cubanos supostamente doados para a campanha presidencial do PT em 2002. Kurzweil fica desobrigado de responder perguntas que possam incriminá-lo e de assumir o compromisso de dizer a verdade, sem o risco de ser preso.Além de Kurzweil, também depõem hoje o proprietário de casa de bingo em Goiânia, Carlos Roberto Martins e o empresário do jogo do bicho em Goiás, Messias Antônio Ribeiro. Ele foi sócio de Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, na empresa Gerplan, vencedora da licitação para controle das loterias em Goiás.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.