Empresário ajuiza ação para garantir posse de vaga de Wilson

Gilvan Costa ficou na quarta suplência do partido para preencher a vaga do deputado morto no fim de semana

Agência Brasil ,

15 de abril de 2009 | 17h26

O empresário Gilvan Oliveira Costa, candidato a deputado federal nas eleições de 2006 pelo PTB, ajuizou nesta quarta-feira, 15, um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) para que Corte garanta sua posse na vaga deixada na Câmara dos Deputados pelo deputado federal Carlos Wilson (PTB), falecido no último sábado, 11.

 

Gilvan Oliveira Costa ficou na quarta suplência de seu partido, após receber 17 mil votos na eleição. Ele alega, entretanto, que os três primeiros suplentes foram declarados inelegíveis pela Justiça Eleitoral, numa decisão posteriormente confirmada pelo próprio STF. O relator do mandado de segurança será o ministro Carlos Alberto Menezes Direito.

 

Um desses supostos inelegíveis, Antonio Charles Lucena de Oliveira Melo, teria sido indicado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer, para tomar posse na vaga de Carlos Wilson.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.