Empresa vai retirar Tricilon do mercado

A indústria Organon do Brasil vai retirar do mercado todas as ampolas do anticoncepcional Tricilon, conforme informou nesta quinta-feira. A medida foi tomada depois que a Prefeitura deCampinas relatou problemas com o lote A33720 do medicamento injetável, e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a comercialização desse lote em todo oPaís.Três pacientes da rede pública de saúde de Campinas ficaram grávidas mesmo tomando regularmente o remédio. Análises feitas no laboratório Adolfo Lutz em 40 amostras confirmaram problemas no lote.Nesta quinta-feira de manhã, a Secretaria Municipal de Saúde não autorizou a realização de contraprova da Organon, que optou por retirartodos os frascos do produto do mercado.Segundo a assessoria de imprensa da Organon, este ano foram vendidas 548 mil ampolas de Tricilon, mas não há estimativas de quantas serão recolhidas. De acordo com a assessoria, a decisão foi tomada para evitar riscos.Ainda segundo a assessoria, novos exames demorariam pelo menos 30 dias para serem concluídos, o que poderia acarretar prejuízo ao consumidor.A Organon ainda não decidiu se continuará a comercializar o Tricilon no Brasil. O produto é fabricado na Holanda e vendido em vários países, conforme a assessoria.A Prefeitura de Campinas, assim como outras instituições e farmácias, será ressarcidapelo material recolhido, acrescentou a assessoria.A Secretaria de Saúde de Campinas informou nesta quinta-feira que já adquiriu emcaráter emergencial um novo lote de medicamento, de sete mil unidades, com o mesmoprincípio ativo do Tricilon para manter o atendimento às pacientes da rede pública.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.