Empresa é acusada de aliciar mão-de-obra

O Ministério do Trabalho interditou na tarde de hoje a Serveplan Instalações Industriais, em São José dos Campos, por aliciamento de mão-de-obra e indícios de mão-de-obra escrava. A empresa produz torres para telecomunicação e trouxe 40 trabalhadores do interior do Ceará. Segundo o auditor fiscal do Ministério do Trabalho, Antonio Carlos Pimentel, foram constatadas diversas irregularidades, entre elas falta de segurança. "Nós encontramos 40 carteiras de trabalho retidas, livro e registro de emprego, sem registro e vários documentos assinados em branco, entre eles, contrato de experiência". A denúncia partiu do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos. O chefe do Departamento Pessoal da Serveplan, José Benedito da Rosa admitiu que a empresa não vai mudar o sistema de contratação e prevê a vinda de mais 200 trabalhadores. "Se o sindicato não deixar a gente fazer as contratações, a empresa muda para o Ceará", disse Rosa. Antonio Anselmo Rodrigues, 23 anos chegou sábado do município de Ipaporonga, Ceará, ele disse que assinou papeis em branco e não sabia quanto ia ganhar. "Não falaram nada sobre salário" disse Rodrigues.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.