Empresa diz só ter feito 'contato institucional'

O gerente executivo da Value Partners do Brasil, Rogério Carvalho dos Santos, disse que a empresa fez um contato "institucional" com o ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa e que isso não se converteu em assinatura de contrato.

O Estado de S.Paulo

06 Junho 2014 | 04h04

Segundo ele, a Value apresentou em uma única reunião, cuja data não soube precisar, sua expertise em óleo e gás, além de infraestrutura, com vistas a uma parceria com a Costa Global no mercado de consultoria. Esse tipo de aproximação, explicou, é comum com pessoas que, como o ex-diretor, "têm relacionamentos no mercado que são o que chamamos de 'abridores de porta'". Carvalho disse que o contrato não foi adiante por falta de interesse de Costa. "Não foi celebrado nenhum contrato."

O gerente disse desconhecer a existência de boletos com seu nome na casa de Costa. Questionado sobre o material sobre a Value Partners apreendido pela PF no imóvel do ex-diretor, respondeu: "No caso do Paulo, a gente não apresentou nada de detalhes". Em nota, a Value frisou que "não tem e nunca teve nenhum tipo de sociedade" com o ex-diretor.

O Ministério do Esporte não detalhou os pagamentos às empresas do Consórcio Copa, como pedido pelo Estado. Em nota, informou não ter relação com Costa e disse desconhecer qualquer ligação dele com "as empresas contratadas por licitação".

A pasta explicou que implementou, por meio de um plano, todas as medidas solicitadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU) após a constatação, em auditoria, de falhas no contrato. "O Consórcio Copa forneceu os serviços previstos pelo contrato, feito a partir da licitação."

A Petrobrás Distribuidora disse, via assessoria de imprensa, que tem dois contratos vigentes com a Value Partners, ambos firmados por meio de licitação. Procurada, a Fifa não se pronunciou. / F.F. e F.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.