Empresa de Lulinha teve prejuízo de R$ 3,479 mi em 2005

A Gamecorp, empresa que tem Flávio Luis Lula da Silva, o Lulinha - filho do presidente Lula - entre seus sócios, publicou balanço referente a 2005 que mostra um prejuízo de R$ 3,479 milhões em suas operações. A empresa de produção de conteúdo para o público jovem, que aluga um espaço na grade da PlayTV, antiga Rede 21, esteve envolvida em denúncias em 2006 devido à participação acionária da Telemar no negócio. Com a perda financeira em seu primeiro ano de atuação, a Gamecorp teve seu patrimônio líquido reduzido de R$ 5,2 milhões para R$ 2,6 milhões. A Gamecorp surgiu da criação da BR4, uma associação entre a empresa G4, que tinha como sócios Lulinha e os irmãos Kalil e Fernando Bittar, e a Espaço Digital, que pertencia a Leonardo Badra Eid. Criada em outubro de 2004, a Gamecorp, que tinha capital social de R$ 10 mil, recebeu em janeiro de 2005 um aporte de R$ 2,7 milhões - segundo informações, vindo da Telemar. Ao mesmo tempo, a empresa emitiu debêntures no valor de R$ 2,5 milhões, que foram adquiridas pela Telemar Internet Ltda e convertidas em ações da Gamecorp no dia 31 de janeiro. Após essa operação, o capital da Gamecorp ficou dividido em 65% para a BR4 Participações e 35% para Telemar Internet. A Gamecorp iniciou suas atividades operacionais em março de 2005. Até o final de 2005, a empresa teve receita operacional líquida de R$ 2,358 milhões e custos de serviços vendidos de R$ 2,948 milhões, registrando um prejuízo bruto de R$ 590 mil. As despesas operacionais somaram R$ 2,889 milhões, perfazendo assim o prejuízo final de R$ 3,479 milhões. Em suas notas explicativas, a Gamecorp informa que pagou obrigações sociais de R$ 120,421 mil em 2005, sendo R$ 49,481 mil em salários. A empresa possuía aplicações financeiras de R$ 1,580 milhão em fundos de perfil conservador no Banco do Brasil e Banco Safra. As demonstrações financeiras são assinadas pelo diretor-presidente Leonardo Badra Eid e pelo diretor financeiro Marcos Adriano Veiga Silva.

Agencia Estado,

24 Dezembro 2006 | 16h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.