Empresa de Dantas tenta na Justiça liberar gado

A Santa Bárbara Xinguara - que a Polícia Federal (PF) sustenta ser o braço agropecuário do banqueiro Daniel Dantas, do Grupo Opportunity - pediu ontem à Justiça reconsideração parcial da ordem de sequestro de 27 fazendas e 453 mil cabeças de gado. A defesa da empresa pede autorização para manejo dos animais e sua comercialização. ?O levantamento do sequestro dos animais configura a única forma de evitar a iminente paralisação das atividades da empresa e os consequentes prejuízos irreversíveis que daí decorrerão?, assinalam os advogados Dora Cavalcanti Cordani e Rafael Tucherman.

AE, Agencia Estado

24 de julho de 2009 | 09h35

A defesa se comprometeu a encaminhar mapas atualizados do gado ?a fim de demonstrar que a permissão de venda das reses não resultará, de forma alguma, em qualquer espécie de dilapidação do patrimônio da empresa, ao contrário, permitirá que seu rebanho cresça de forma progressiva?. A Santa Bárbara afirma que ?manterá intacta a constrição que recai sobre as fazendas e benfeitorias nelas construídas, nas quais já foram investidos aproximadamente R$ 350 milhões?.

O sequestro foi decretado pelo juiz da 6ª Vara Federal, Fausto De Sanctis. O magistrado suspeita que Dantas teria usado propriedades rurais para lavar dinheiro ilícito de fraudes financeiras. A defesa destaca que nem a PF nem o Ministério Público (MP) postularam que o sequestro recaísse sobre as reses, ?mas exclusivamente sobre os imóveis?. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.