Emir Sader representará PT em homenagem a Fidel Castro

O sociólogo Emir Sader representará o PT nas comemorações de 80 anos do ditador cubano Fidel Castro. Ele foi condenado, em 24 de outubro, a um ano de detenção em um processo por injúria movido pelo presidente do PFL, senador Jorge Bornhausen. Sader, em artigo, chamou Borhausen de ´racista´. Logo depois da condenação, intelectuais e acadêmicos lançaram um manifesto em apoio ao sociólogo e, no último dia 10, o Ministério Público entrou com recurso pedindo a anulação da decisão e aguarda resposta da Justiça. Sader está em Cuba desde a última quarta-feira, um dia depois do início das solenidades, e entregará uma carta do partido em homenagem a Fidel, neste sábado, quando haverá um desfile militar. O conteúdo da carta não foi revelado pelo PT, que o divulgará em seu site também neste sábado. Fidel - que foi operado em julho deste ano - não participou das comemorações de seu aniversário. Sua doença não foi revelada e ele não é visto em público desde 28 de outubro, data em que apareceu em um vídeo para desmentir rumores sobre sua morte. No início das comemorações, na última terça-feira, Fidel apenas deu boas-vindas aos cerca de convidados 1.500 convidados de 80 países, por meio de uma mensagem lida no local. Entre os convidados, de acordo com autoridades cubanas, estão os presidentes Evo Morales (Bolívia), René Préval (Haiti) e o recém-eleito Daniel Ortega (Nicarágua). O venezuelano Hugo Chávez, amigo e principal aliado de Fidel, não irá porque disputa a reeleição nesta domingo. O aniversário de Fidel ocorreu em 13 de agosto, mas a celebração foi adiada, a pedido dele, para coincidir com o 50º aniversário do dia em que ele e seus seguidores desembarcaram em Cuba no barco Granma, para a revolução que seria vitoriosa em 1959.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.