Emenda da previdência irá direto para o plenário da Câmara

O presidente da Câmara, deputado João Paulo Cunha (PT-SP), decidiu levar diretamente para o plenário a votação da chamada PEC paralela da reforma da Previdência, que aguardava apreciação em comissão especial. Com isso, a tramitação não será apreciada pela comissão. A decisão foi adotada em atendimento a um pedido dos líderes da base aliada ao governo para que a votação fosse feita diretamente no plenário.O relator José Pimentel (PT-CE) afirmou nesta sexta-feira que ainda não está consolidado o apoio ao dispositivo que trata do teto salarial dos servidores públicos nos Estados. "O único ponto pendente é o que trata do subteto para construir a maioria para aprovar a PEC paralela", disse. Em seu parecer, Pimentel restabeleceu subtetos diferenciados para os Três Poderes nos Estados. O Senado havia instituído, na PEC Paralela, o subteto único.O relator afirmou que, assim que a Câmara conseguir reabrir a pauta do plenário, trancada pela não-votação de medidas provisórias, vai pôr em votação a PEC Paralela.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.