Embrapa vai produzir alimento na África, diz Lula

Em seu programa de rádio, presidente afirma que empresa será a maior produtora de alimento do mundo

08 Outubro 2007 | 07h52

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou, nesta segunda-feira, 8, que a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) quer ajudar países africanos a transformar áreas que parecem com o Centro-Oeste brasileiro "em uma região altamente produtiva".   Veja também: Pela primeira vez, safra agrícola e receita do produtor serão recordes   Em seu programa semanal de rádio, Café com o Presidente, Lula afirmou querer que a Embrapa seja a primeira produtora de alimento do mundo. O presidente defendeu ainda um melhoramento genético de "tudo aquilo que a gente produz porque no fundo, no fundo, o que vai valer é a qualidade dos produtos que nós seremos capazes de produzir".   O diretor da Embrapa, Kepler Euclides, que participou do programa, disse que a empresa produz alimento com segurança para o consumo e que a abertura de escritório na África faz parte da política de cooperação com outros países em pesquisas agropecuárias.   Segundo o apresentador do programa, o orçamento da Embrapa - que tem 2.200 pesquisadores - saltou de R$ 670 milhões, em 2001, para mais de R$ 1 bilhão, em 2006. Lula afirmou que continuará a investir em desenvolvimento tecnológico. "Quando um país não tem importância política, quando um país não é competitivo com o chamado mundo desenvolvido, ninguém nos nota e ninguém reclama, ou seja, nós somos tratados como se fôssemos um 'zé ninguém'."   "É importante lembrar que o Brasil virou o maior exportador de soja do mundo, o maior exportador de carne do mundo, o maior exportador de café do mundo, o maior exportador de suco de laranja do mundo", disse Lula. Para completar: "o Brasil está se transformando num país com vários centros de excelência, e a Embrapa é uma cara visível desse Brasil excelência no mundo da agricultura."

Mais conteúdo sobre:
Café com o Presidente Embrapa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.