Embrapa desenvolve tomate "duradouro"

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) está prestes a colocar no mercado um novo híbrido de tomateiro para atender à demanda por cultivares resistentes ao tospovírus. Batizado de tomate "Duradoro", o novo híbrido, desenvolvido com apoio da Emater-DF e da Agência Rural de Goiás, possui grande capacidade de conservação pós-colheita. Segundo a Embrapa, os testes foram realizados na região do Distrito Federal e entorno, além dos estados de São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Rio de Janeiro, Ceará e Mato Grosso. A Embrapa diz que "o produto foi aprovado por agricultores e donas-de-casa e seus frutos medem 200 a 250g."A colheita inicia-se aos 85 dias após o transplantio, e os frutos mantêm-se com boa conservação por períodos variando entre 15 e 20 dias. A Embrapa esclarece que atualmente constam no mercado poucas cultivares de tomate "longa-vida", com resistência ao vírus vira-cabeça, muito comum em plantações desta espécie e que predominantemente leva a perda total do campo.A pesquisa do "Duradouro" ainda não está finalizada os resultados finais do produto deverão ser concluídos nos próximos meses. No Brasil são comercializados anualmente cerca de 1,5 milhão de toneladas de tomate. Originário de regiões Andinas, é a espécie com maior volume de produção no país e a principal do grupo das hortaliças.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.