'Embalado' por Lula, prefeito quer mudar letra do Hino Nacional

Carlos Aymar quer incluir o termo 'abençoado' após fala do presidente sobre descoberta de campo de petróleo

José Maria Tomazela, do Estadão

21 de novembro de 2007 | 18h52

Embalado pela declaração do presidente Lula, que após a descoberta do campo gigante de petróleo na Bacia de Santos, concluiu que "Deus é brasileiro", o prefeito de Araçariguama, interior de São Paulo, Carlos Aymar (PRD), iniciou uma campanha para mudar a letra do Hino Nacional. Ele quer incluir o termo "abençoado" na estrofe que faz referência ao País, na letra criada em 1909 por Joaquim Osório Duque Estrada.   Conhecido pelas medidas polêmicas, como a pintura de todos os prédios e bens públicos da cidade na cor verde, que acabou contestada na justiça, desta vez Aymar acha que sua campanha terá apoio geral e irrestrito.   A proposta é alterar o sentido da estrofe "deitado eternamente em berço esplêndido", com a troca da palavra "deitado" por "abençoado". Ele alega que o termo não condiz com o espírito do brasileiro, que está longe de ser um povo "adormecido". A mudança é simples e garantiria ao hino um perfil mais positivo, segundo Aymar. "O Brasil é um País verdadeiramente abençoado", disse. Ele criou um site na internet  onde a pessoa pode ouvir o hino original e a versão modificada.   Aymar pede que as pessoas manifestem sua opinião. Na semana passada, ele apresentou a proposta ao ministro das Cidades, Márcio Fortes. Segundo o prefeito, o ministro gostou e se comprometeu a falar com o presidente. Os deputados Jorge Tadeu Mudalen (DEM) e Frank Aguiar (PTB) se dispuseram a encaminhar projeto à Câmara com a mudança. Aymar, no entanto, sonha em apresentar um projeto de iniciativa popular, com mais de um milhão de assinaturas.

Tudo o que sabemos sobre:
Hino NacionalCarlos Aymar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.