Embaixadora dos EUA na Venezuela vem para o Brasil

Donna Hrinak, a mulher que dirigiu por vezes com mão de ferro as relações de Washington com o governo do presidente Hugo Chávez na Venezuela, foi transferida para o Brasil, com o mesmo cargo. A nomeação foi anunciada nesta terça-feira pelo presidente George W. Bush, cujas relações com Chávez não têm sido exatamente as melhores nos últimos meses devido à posição radicalmente distanciada de Washington do presidente venezuelano. Hrinak foi embaixadora em Caracas desde o ano passado, ao ser transferida da Bolívia.Agora virá para o Brasil com "poderes extraordinários e plenipotenciários", disse Bush ao fazer o anúncio através do Departamento de Estado. Antes de comandar a embaixada na Bolívia, Hrinak ocupou também o cargo de embaixadora na República Dominicana, onde permaneceu mais tempo em funções do que em nenhum outro país: de 1994 a 1998. Em agosto passado, recém-acreditada na Venezuela, Hrinak entrevistou-se com o chanceler José vicente Rangel, quando Washington estava preocupado com a visita de Chávez ao Iraque. Rangel admitiu que esperava ver em Hrinak a encarnação da lenda da "mulher dura", mas o que encontrou foi "uma grande dama, com um bom senso de humor". "Disse-lhe então: a senhora chegou cercada por uma lenda de que é uma mulher dura. Ao que ela me respondeu: ´Não é bem isso; não sou suave, mas também não sou dura´" .

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.