Em visita ao Brasil, premiê britânico diz ver país como parceiro preferencial

David Cameron caminhou com empresários pela Avenida Paulista e destacou potencial de negócios entre os dois países.

BBC Brasil, BBC

27 de setembro de 2012 | 12h42

O primeiro-ministro britânico David Cameron disse nesta quinta-feira, em visita à Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), que o crescimento recente da economia brasileira transformou o país em um parceiro preferencial do Reino Unido.

"No ano passado, o Brasil ultrapassou a Grã-Bretanha e se tornou a sexta maior economia do mundo. E nós britânicos temos um ditado: se não pode vencê-los, junte-se a eles", disse o premiê britânico, arrancando risos da plateia, formada principalmente por empresários do setor industrial.

Antes de chegar à sede da Fiesp, Cameron fez uma rápida caminhada pela Avenida Paulista e outras ruas próximas acompanhado por cerca de uma centena de empresários.

Cameron disse que o fato de os britânicos terem sediado as últimas Olimpíadas e Paraolimpíadas e o Brasil ter responsabilidade pelos mesmos eventos em 2016, cria uma oportunidade única de aproximação que os dois países têm de aproveitar.

O líder britânico citou os setores de energia e defesa entre os que têm maior potencial de negócios entre os dois países.

"O Brasil vai ter de investir em geração de energia e a Grã-Bretanha quer participar disso", disse Cameron. "Na área de defesa, nós podemos participar do processo de modernização das Forças Armadas Brasileiras, como dois países amigos podem e devem fazer."

Relação antiga

O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, lembrou que "até 1927 a Grã-Bretanha era o principal parceiro comercial do Brasil". Skaf lamentou que atualmente o comércio entre os dois países tenha peso relativamente reduzido.

"Atualmente, o Brasil exporta cerca de US$ 5 bilhões para o Reino Unido e importa US$ 3 bilhões. É uma corrente de comércio de apenas US$ 8 bilhões entre países que, somados, possuem uma corrente de comércio de cerca de U$ 1,6 trilhão", disse Skaf.

O presidente da Fiesp também pediu o apoio britânico à intenção de São Paulo de ser a sede da Exposição Mundial de 2020, depois de elogiar a organização das Olimpíadas deste ano e destacar a importância da colaboração entre os dois países para que o evento seja um sucesso no Rio de Janeiro em 2016.

Skaf acrescentou que foram os ingleses os responsáveis pela criação do futebol moderno e por sua introdução no Brasil, por meio de Charles Miller. A frase do brasileiro deu ao primeiro-ministro britânico a oportunidade de fazer outra observação - elogiosa ao Brasil - que fez os empresários presentes rirem.

"Acho que o futebol é uma boa metáfora para outras coisas que estamos discutindo aqui. Pode ser que os britânicos tenham inventado o jogo, mas ele foi aperfeiçoado pelos brasileiros", concluiu Cameron. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.