Em visita a Santa Catarina, Dilma alfineta Serra

'Foram 12 milhões de empregos gerados diante da inexistência disso na gestão anterior', diz pré-candidata à Presidência

Alessandra Leite, da Agência Estado,

20 de março de 2010 | 14h48

Recebida em clima de festa pelos petistas catarinenses no final da manhã deste sábado, a ministra da Casa Civil e pré-candidata à Presidência da República, Dilma Rousseff, enumerou "benefícios" do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, como o programa Bolsa Família, o Minha Casa, Minha Vida e os "milhões de empregos gerados no período".

Dilma fez a declaração ao ser questionada sobre as comparações feitas entre ela e seu provável adversário na eleição, o governador de São Paulo, José Serra (PSDB). "Não costumo me manifestar sobre comparações. Principalmente em relação ao Serra. Não é só o projeto de governo que vai ser comparado. Nós podemos dizer o que fizemos. Temos capacidade de fazer o futuro. Foram 12 milhões de empregos gerados diante da inexistência disso na gestão anterior", ressaltou.

A ministra da Casa Civil participa neste sábado do 4º Congresso Estadual do PT em Santa Catarina, onde anunciou, no começo da tarde, total apoio às candidaturas da senadora Ideli Salvatti ao governo do Estado e do deputado federal Cláudio Vignatti ao Senado. O evento vai durar o dia todo no município de São José, na região da Grande Florianópolis.

Em tom de discurso eleitoral, Dilma Rousseff falou sobre o "desempenho exemplar" do governo Lula, especialmente em relação à queda da inflação e à garantia de sustentabilidade que o Brasil teve, segundo ela, durante a crise financeira.

Abordada sobre possibilidades de coalizão com o PMDB em Santa Catarina, a pré-candidata deixou claro que o PT nunca escondeu a importância que dá a uma coligação com os peemedebistas em todo o Brasil. "Vemos com bons olhos a aliança com o PMDB. Mas, serão alianças construídas sem imposições. Vamos governar o País considerando os processos de coalizão como uma forma de governabilidade", afirmou, dando o tom do otimismo sobre a disputa eleitoral.

Mais conteúdo sobre:
Dilma RousseffJosé Serra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.