Em viagem, Lula cai em 'pegadinha' de TV espanhola

Presidente falou com uma brasileira que o perseguia e falou ao telefone com humorista, sem saber

Jamil Chade, de O Estado de S.Paulo

28 de outubro de 2008 | 13h10

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva caiu em uma pegadinha da TV espanhola e nem sequer seus seguranças e assessores se deram conta do que estava ocorrendo. Há duas semanas, quando visitou Toledo na presença do Rei Juan Carlos da Espanha, Lula acabou parando para falar com uma brasileira que o perseguia durante todo o dia. A brasileira disse a Lula que estava com seu pai no celular e que ele queria muito falar com o presidente. Na realidade, no outro lado da linha estava Jordi Evole, um famoso humorista espanhol, que se fez passar por um brasileiro e ontem colocou a conversa na TV espanhola em um programa de humor grande audiência.   Veja Também:  O vídeo da pegadinha   No meio da multidão, a brasileira Patrícia Miranda conseguiu convencer Lula a atender um telefone celular, supostamente com seu pai do outro lado da linha.   Lula aceitou e ao atender ouviu: "Presidente, viva o Corinthians". Lula respondeu: "viva", achando que falava de fato com o pai da garota, que estava com uma camiseta da seleção e deu de presente ao presidente um boneco de um desenho animado espanhol chamado Lula. Jordi, conhecido como El Follonero, continuou falando, e Lula apenas dizia: "Um abraço meu querido, um abraço meu querido", evitando fazer comentários.   Mas o humorista espanhol foi além. "O que disse o rei: porque não te calas, como disse ao (Hugo Chavez)". O humorista se referia à discussão entre Chavez, presidente da Venezuela, e o Rei da Espanha no ano passado, em que o monarca disse ao venezuelano para que se calara. Lula riu e disse: "Isso". O humorista ainda afirmou. "Presidente, para lidar com a crise financeira, menos samba e mais trabalho, certo", disse. Lula não respondeu, talvez sentindo que se tratava de algo.   Para terminar, o humorista pediu ao telefone que Lula desse um beijo na testa de sua filha. Lula não teve dúvida e deu o beijo.   Toda a conversa, que não durou mais de um minuto, foi gravada pelos cinegrafista do programa, que ontem transmitiram na rede Sexta. No programa montando como uma trama de James Bond, Jordi dá uma missão especial à Patrícia, que é a de passar o telefone à Lula. Um dos seguranças do governo espanhol chegou a reconhecer um dos membros da equipe do programa no contato de Lula com a multidão. Mas o cinegrafista desconversou.     O que os produtores do programa menos esperavam é que Lula fosse trazido até a multidão e até a brasileira Patrícia pelas mãos do primeiro-ministro José Luis Rodriguez Zapatero. Ao chegar ao local do evento em Toledo, Lula acenou para os brasileiros que estavam do outro lado da rua, entre elas Patrícia, que já havia tentado falar com Lula em outras ocasiões no mesmo dia.   O presidente não iria cruzar a rua e deixou claro que estava entrando no evento. A cerimônia tinha a presença do Rei da Espanha que o entregaria o prêmio Dom Quixote a Lula. Mas foi Zapatero quem quebrou o protocolo e disse à Lula. "Olhe lá os brasileiros", apontando para Patrícia.   Lula então se sentiu à vontade para ir até a brasileira. Nem ele nem Zapatero sabiam que estavam caindo numa pegadinha.   Não é a primeira vez que Patrícia e sua equipe montam uma pegadinha. Em junho, passando-se por uma jornalista brasileira, Patrícia conseguiu uma entrevista com o então técnico da seleção espanhola, Luis Aragonés. Na realidade, a entrevista era uma pegadinha que também foi ao ar.   Texto atualizado às 15h40  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.